sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Iniciativa fomenta desenvolvimento na fronteira

Capacitação qualifica gestores públicos de municípios na linha divisória entre países, como Corumbá, a promoverem a integração transfronteiriça. Iniciativa resulta de parceria entre IICA, Ministério da Integração Nacional e o Instituto Latinoamericano de Planejamento Econômico e Social

Com mais de 15 mil km de extensão, a faixa de fronteira do Brasil tem diversas cidades-gêmeas, que apresentam problemas comuns nos dois lados da divisa, por um lado, e, por outro, favorecem o processo de integração entre os países. Essa configuração geopolítica demanda políticas públicas que levem em conta as características econômicas e sócio-culturais da região. Uma estratégia para capacitar as administrações municipais para o desenvolvimento transfronteiriço foi discutida, em Brasília, nesta quarta-feira (23).

A proposta foi apresentada pelo representante do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) no Brasil, Manuel Otero, ao secretário de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional (MI), Sergio Duarte de Castro. O coordenador-técnico do escritório, Breno Tiburcio, e o especialista em projeto regionais do Instituto, Luis Valdés, também participaram o encontro. O Instituto Latinoamericano de Planejamento Econômico e Social (Ilpes), organismo vinculado à Comissão Econômica para a América Latina (Cepal), também integra a parceria desenvolvendo as ações de capacitação.

Segundo Otero, “a proposta é de grande importância para o a fronteira. Por meio de ações de desenvolvimento territorial, promoverá melhorias nas condições de vida das populações dessas regiões”. O Instituto já desenvolve iniciativas transfronteiriças entre o Brasil e o Uruguai e na América Central. Otero ainda relata que a proposta foi bem recebida pelo secretário Castro.

Ensino a distância 

Em sua primeira edição, o curso será aplicado para gestores dos municípios dos arcos Central, que compreende os estados de Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, e Norte, do qual fazem parte Acre, Roraima, Amapá e Amazonas, da linha de fronteira brasileira. Destinado a servidores públicos dos municípios fronteiriços e das instituições que trabalham para o desenvolvimento destas localidades, o conteúdo ensinará como devem ser elaborados os projetos integrados para o desenvolvimento das cidades-gêmeas.

A programação também vai qualificá-los sobre a captação de recursos para financiamento dos projetos. O programa será dividido em três fases. Na primeira, de 10 a 14 de fevereiro de 2014, e na última, de 08 a 09 de maio, as atividades serão presenciais, em Corumbá (foto), Mato Grosso do Sul, na fronteira com a cidade boliviana de Porto Suarez. Na segunda fase, que será aplicada de 1º de março a 30 de abril, os conteúdos serão disponibilizados em uma plataforma virtual.

A linha de fronteira do Brasil corresponde a aproximadamente 27% do território nacional e concentra cerca de 10 milhões de habitantes, em 11 unidades da Federação. Para fins de elaboração e execução de políticas públicas regionalizadas, o governo federal divide a faixa de divisa com outros países em três arcos. Além dos arcos Central e Arco Norte; foi criado o Arco Sul, que passa pelo Paraná, Santa Catarina e termina no Rio Grande do Sul.


IICA
Brasília-DF, 24/10/2013
http://www.iica.int/Esp/regiones/sur/brasil/Lists/Noticias/DispForm.aspx?ID=750

Nenhum comentário:

Postar um comentário