segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Asfalto no Brasil e no Paraguai gera otimismo na fronteira


Expectativa de desenvolvimento com a recuperação da Guaira-Porã e pavimentação de rodovias tem provocado investimento dos dois lados da fronteira na região Cone Sul de MS

Obras de asfalto no Brasil e no Paraguai estão gerando otimismo e perspectivas de desenvolvimento dos dois lados da fronteira na região do Cone Sul do Estado, em Mato Grosso do Sul.

No Cone Sul de MS pelo menos três grandes obras lançadas pelo Governo do Estado estão em andamento.

A pavimentação dos 98 quilômetros da Rodovia MS-180 ligando Iguatemi a BR-163 em Jutí, cortando cerca de 20 quilômetros do município de Amambai, a MS-165, vulgarmente conhecida como “Sul-Fronteira”, que foi retomada após mais de ano de paralisação e, na etapa em execução irá interligar Sanga Puitã ao distrito de Vila Marques, passando por Aral Moreira e a obra apontada como a mais importante delas, que é a recuperação dos cerca de 250 quilômetros da rodovia vulgarmente conhecida como “Guaira-Porã”, que liga Sanga Puitã, em Ponta Porã a BR-163 em Eldorado, no extremo sul do Estado.

É pela Guaira-Porã que é escoada toda a produção agropecuária da faixa de fronteira para os estados da região sul do País, principalmente para o Porto de Paranaguá para fins de exportação.

Esta rodovia, por sua vez, também é a principal rota de entrada de produtos industrializados e implementos para o próprio setor agropecuário de toda a região.

Também é pela Guaira-Porã o único acesso pavimentado ligando os municípios de Iguatemi, Tacuru, Sete Quedas, Paranhos, Coronel Sapucaia e Aral Moreira, ao resto do Estado em Mato Grosso do Sul e aos grande centros do País.

Asfalto no Paraguai

No Paraguai está em andamento com recursos do Fonplata (Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata), a pavimentação dos aproximados 145 quilômetros de rodovia interligando Capitan Bado, cidade que faz divida com Coronel Sapucaia, no Brasil, a região da cidade de Santa Rosa.

A pavimentação da via vai encurtar em mais de 100 quilômetros a distância de Capitan Bado e conseqüentemente do Brasil à capital paraguaia, Assución e é apontada com um marco para o desenvolvimento, tanto de Capitan Bado como da cidade brasileira e roda a faixa de fronteira nos dois países.

Em Capitan Bado, município que no Brasil acaba tendo a imagem manchada por conta do tráfico de drogas, mas na realidade é o segundo maior produtor de grão e o quarto maior produtor no setor da pecuária no Paraguai, o início da pavimentação da rodovia, que deverá levar dois anos para ser concluída, gerou clima de euforia.

Segundo o presidente da ACCB (Associação Comercial de Capitan Bado), o empresário, José Arguelho, de um ano para cá o governo do país tem voltado suas atenções para o município e já de olho no potencial econômico, inclusive no turismo de compras vindo do Brasil, tem investido no setor de infraestrutura urbana.

“Isso fez elevar o interesse por investimentos. Terrenos que custavam 10 mil dólares hoje custam 50 mil, grandes empresas dos ramos, comercial e de exportação estão adquirindo terrenos e se preparando para se instalar aqui em Capitan Bado e já pensando em garantir seu espaço mediante a concorrência que fatalmente vai surgir, os próprios comerciantes badenhõ estão investindo em melhorias nos prédios e fortalecendo seus estoques para atender a demanda”, disse do presidente da Associação Comercial.

José Arguelho também salientou que o setor da construção civil também está bastante aquecido em Capitan Bado. Bairros, antes com residências dispersas, hoje se transformaram em verdadeiros canteiros de obras e inclusive já falta mão de obra para o setor da construção civil no município paraguaia que, segundo a ACCB, unindo perímetro urbano e a zona rural, tem uma população estimada em 26 mil habitantes.

A AESA (Associação Comercial e Empresarial de Coronel Sapucaia) também vê com bons olhos e grandes oportunidades de negócios a chegada do asfalto ligando Santa Rosa a Capitan Bado.

Segundo a presidente da entidade, Maria Conceição Scarpini, a classe empresarial sapucaiense já começa a se preparar para acompanhar a possível evolução comercial da cidade paraguaia investindo na melhoria do aspecto visual e estrutural de seus estabelecimentos.

Amambai poderá ser beneficiada

O possível crescimento comercial de Capitan Bado e de Coronel Sapucaia, poderá inclusive beneficiar o desenvolvimento de Amambai, que poderá se tornar rota do turismo de compras e de exportação e importação de produtos para os países do Mercosul, o Mercado Comum do Sul.

O município também poderá receber investimentos de empresários brasileiros que montarão seus negócios em Capitan Bado, mas investirão seus recursos no município, que está afastado cerca de 45 quilômetros da fronteira.

Isso vem acontecendo com a cidade de Mundo Novo, no extremo sul do Estado, que passou a receber muitos investimentos de empresários brasileiros que tem negócios em Salto Del Guairá, no Paraguai, mas moram e fazem suas movimentações na cidade brasileira, que fica a cerca de 20 quilômetros da fronteira com o país vizinho.

Asfalto pode atrair investimentos para o Cone Sul

A pavimentação de rodovias, bem como a recuperação da Guaira-Porã, que foi uma conquista da união de força da política com a classe empresarial da região, também representa, no ponto de vista dos dois setores, um grande passo para o desenvolvimento do Cone Sul.

No ponto de vista das classes, política e empresarial, rodovias em boas condições abrem as portas para novos investimentos e para o crescimento econômico.

Quando secretário de indústria e comércio de Amambai, o ex-vice-prefeito do município (gestão 2009/2012), José Aparecido Aguiar visitou inúmeras empresas de vários segmentos nos estados do sul do País mostrando o potencial econômico do município e da região Cone Sul do Estado.

“Sempre se mostravam interessadas, mas descartavam investir na região, principalmente por conta da falta de acessibilidade, por falta de rodovias em boas condições”, disse Aguiar.


Fronteira News
14/10/2013
http://www.fronteiranews.com/?pg=noticia&id=29158

Nenhum comentário:

Postar um comentário