quinta-feira, 25 de julho de 2013

Livro trata sobre pesquisas em espaços de fronteira no Brasil e na Amazônia


Organizado pelos professores Adilson Brito (UFPA/Bragança), Carlo Romani (Unirio-RJ) e Carlos Augusto Bastos (Unifap/AP), o livro “Limites Fluentes – Fronteiras e Identidades na América Latina (Séculos XVIII-XXI)” pretende popularizar os debates mais recentes acerca das pesquisas em espaços de fronteira no Brasil e na Amazônia. O lançamento ocorrerá nesta quinta-feira, 25, durante o XVII Simpósio Nacional de História, realizado em Natal (RN).

O livro é composto por artigos científicos produzidos por historiadores, geógrafos e antropólogos que procuram interpretar as múltiplas experiências sociais, políticas e culturais em áreas de fronteira do Brasil com os países latino-americanos e com a Guiana Francesa, sobretudo os espaços amazônicos.

Histórico – Entre 23 e 26 de outubro de 2012, Bragança sediou o Encontro Internacional Fronteira, História e Identidades & II Colóquio de História e Saber Histórico: Fronteiras Bragantinas, que pretendeu contribuir para uma ampla reflexão sobre as múltiplas experiências sociais construídas em diversas regiões de fronteira, sobretudo no espaço amazônico. “Limites Fluentes” foi escrito por participantes desse evento, que formalizaram, em artigos científicos, suas apresentações realizadas em mesas-redondas e em conferências nacionais e internacionais.

O evento foi organizado pelo Grupo de Estudos de Fronteira (GEF) do Campus Universitário de Bragança, anteriormente conhecido como “Grupo de Pesquisa Sociedade, Trabalho e Política em Áreas de Fronteira”. A linha de pesquisa do Grupo envolve a Amazônia brasileira, as interações nas fronteiras internacionais da região, além de outros locais sul-americanas de fronteira.

“Acreditamos que esse livro é produto de uma refinada e renovada historiografia que procura questionar os nacionalismos e regionalismos excessivos, para pensar as diversas e diferentes dinâmicas, que foram, historicamente, construídas em espacialidades e temporalidades fronteiriças, o que foi o grande ponto de discussão do Grupo de Estudos de Fronteira no Encontro, realizado em Bragança, no mês de outubro de 2012”, afirma o professor Adilson Brito, um dos organizadores do livro.

Público-alvo – Pesquisadores brasileiros e estrangeiros que realizam estudos transfronteiriços na América Latina, professores de História, de Geografia e de Antropologia do Ensino Superior e da Educação Básica, além de alunos de graduação e de pós-graduação que trabalham com a perspectiva de estudos de fronteira configuram o principal público de interesse à temática do livro.

Lançamento – O lançamento do livro será realizado em Natal (RN), durante o XXVII Simpósio Nacional de História. O objetivo do evento é criar um espaço de discussão para aqueles que estudam manifestações artísticas e culturais e que se interessam pelos diálogos que elas mantêm socialmente. Em breve será realizado um lançamento específico na UFPA/Campus do Guamá para os pesquisadores e estudantes de graduação e de pós-graduação que desenvolvem estudos e reflexões sobre espaços de fronteiras na Amazônia.


Texto: Juliana Angelim – Assessoria de Comunicação da UFPA
Arte: Reprodução/ Capa do Livro
24.07.2013 18:00

Nenhum comentário:

Postar um comentário