terça-feira, 4 de junho de 2013

Forças armadas agem nas regiões de fronteira

Tráfico internacional, contrabando, garimpo ilegal e roubo de madeira. Para conter esses crimes nas regiões de fronteira do Brasil, as forças armadas realizaram uma grande operação – da Amazônia ao sul do país.

Uma pista destruída fica perto da fronteira com a Venezuela e era usada por garimpeiros ilegais na terra indígena Yanomami. Mais sessenta foram identificadas pelo exército no meio da mata.

Além disso, na fronteira com o Paraguai, aviões não tripulados enxergam tudo pelo alto. Militares em terra monitoram as imagens em alta definição.

Agentes também apreenderam um carregamento de cigarros no Paraná, avaliado em mais de R$ 1 milhão. O foco está em quadrilhas que atuam principalmente com o tráfico de drogas e armas e o contrabando.

A Operação Ágata é feita há dois anos. Esta, porém, é primeira vez que acontece em toda fronteira.

Crimes ambientais

Na Amazônia, o maior problema são os crimes ambientais. Foram apreendidos, por exemplo, 2,5 mil metros cúbicos de madeira que seriam levadas para a Bolívia e Peru. Dezesseis garimpeiros foram presos na região.

Saúde

A Operação Ágata enviou também médicos e dentistas para atendimento às pessoas – quase 14 mil em todo o país. Em um navio hospital da Marinha, Dona Ivonete teve acesso ao mamógrafo pela primeira vez.


Jornal da Band
Sexta-feira, 31 de maio de 2013 - 21h14
http://noticias.band.uol.com.br/jornaldaband/conteudo.asp?ID=100000602853

Nenhum comentário:

Postar um comentário